quarta-feira, 25 de novembro de 2015

COMO CALCULAR A DOSAGEM ADEQUADA PARA INGERIR A PRATA COLOIDAL


Para calcular a dose de acordo com peso faça o seguinte cálculo (Dose recomendada pelo FDA para prata coloidal verdadeira de 15 a 20 ppm):


ML ADULTO : Peso adulto = x

X x peso menor que 60 ou maior que 70 = dosagem certa

Exemplo: 5 ml (para manutenção OU DOSAGEM PRETENDIDA CONFORME O CASO) :
- 5ml : 70kg = 0,0714
  70 kg (adulto) = 0,0714 base do calculo

- 15ml : 70kg = 0,214

0.0714 (para dose de 5 ml) x 40kilos (peso da pessoa que irá tomar) =  2,85 ml é a dose adequada


X * O PESO DA PESSOA (COM MENOS DE 60 OU MAIS DE 70 kg = DOSE ADEQUADA
(É uma dosagem aproximada para que não se exceda o recomendado)
NORMA QUE DETERMINA A DOSE DE SEGURANÇA PARA A PRATA COLOIDAL

sábado, 21 de novembro de 2015

COMO FAZER SEU OURO COLOIDAL EM CASA - ARTIGO II



Quer aprender a fazer em casa?

Num laboratório você precisaria de um aquecedor agitar com controle de temperatura que é bem caro, então você pode fazer em casa, mas precisará de cuidado e sua presença constante durante o processo.

Vamos lá?



Material necessário:

1 Becker graduado 500ml ou uma jarra temperada

-  2 eletrodos de ouro puro 999 24k  (preferência) ou 1 de cobre (negativo)  e 1 de ouro puro (positivo)

- 1 fonte de 24 a 35 volts com  500mA ou 0,5ampere 

- Vasilhame para por o becker ou jarra em banho-maria 

- Água destilada  ou purificada , zero partículas 500ml

Cloreto de sódio ou sal de cozinha, NACL (P.A.)
        Dilui-se 3 gr em um litro de água destilada e usa-se  30 ml na cuba de 500ml .

- Citrato de sódio (P.A.)
       Dilui-se 15 gr em um litro de água destilada e usa-se 10 ml na cuba de 500ml.
       Loja na internet que vende (confiável): http://loja.gastronomylab.com/citrato-de-sodio.html


- Peróxido de hidrogênio 35%. (ou 130 vol.)
      Dilui-se 1/10 em agua destilada (+-10 vol). Usamos 5 gotas logo no inicio e 5 gotas nos últimos 30 minutos, em cada 500ml. 
      Encontra em loja de produtos químicos.
 



PREPARO

- Coloque o becker ou a jarra com a água em um vasilhame que posa ir ao fogo em banho-maria, contendo 500ml de água destilada.

- Espere aquecer entre 70 e 90 graus. Se tiver em 90 graus talvez não precise do Peróxido.

- Coloque os eletrodos submersos como você vê no vídeo, sendo que o de ouro fica no positivo, e ligue a fonte.

- Acrescente a solução diluida de Cloreto de sódio 30ml

- Acrescente a solução diluida de Citrato de Sódio 10 ml

- Acrescente 5 gotas de peróxido de hidrogênio.

- Agitar a solução levemente a cada 10 minutos

- Marque os minutos e vá observando a mudança de cor em tons de vermelho claro até chegar ao
vermelho rubi. Esse é o ponto certo do ouro coloidal. Aproximadamente 2 horas em eletrólise, podendo se estender por mais alguns minutos. O importante é atingir a cor vermelho rubi.

Não fique preocupado, o importante é seguir as medidas acima. Em alguns vídeos e artigos, você pode encontrar pequenas variações de tempo, talvez quantidade e métodos, porém essa é forma correta  usada e comprovada, por quem faz e não oferece riscos.

Se mudar de cor, descarte, se após esfriar mudar de cor ou decantar descarte, isso significa que houve falha em algum momento, podendo ser a qualidade da água, proporção dos sais, temperatura. É normal errar até atingir o ponto certo, por isso não se preocupe, o importante é que você chegará lá.

OURO COLOIDAL - ARTIGO I

Vamos dar uma atenção ao Ouro Coloidal, pois seu uso vem aumentando e muitas pessoas procurando, então com isso vamos definir e caracterizar para que você não se engane na hora de produzir e comprar, pois o que não falta é gente agindo de má fá com a unica intenção de lucrar em cima de sua boa fé.


O QUE É OURO COLOIDAL? DEFINIÇÃO.

O ouro coloidal são partículas de ouro de tamanho coloidal que vai de 1 a 100 nanômetros produzidas através de um processo eletrolítico ou de eletrólise, onde eletrodos de ouro são presos a uma fonte elétrica e imersos em água destilada ou purificada ( zero partículas), acrescidos de sais específicos e peróxido de hidrogênio numa determinada porcentagem.

Primeiro, coloides são partículas de tamanho ideal para serem ingeridas, pois entram no seu organismo, na dose correta saem sem serem retidas e não entram no núcleo celular.

Segundo, o uso da água sem partículas é essencial para que não haja nenhuma alteração na sua solução coloidal e nem produção de outros sais ou decantação.

Terceiro, os sais são necessários porque o ouro puro com água não libera suas partículas nela. As partículas se deslocam de um eletrodo para o ouro, é uma característica do ouro. Com os sais elas saem dos eletrodos e vão para o meio aquoso.

Quarto, a fonte para fazer o ouro deve ter de 24  a 35 volts, 0,5A (ampere) e se possível corrente continua.



CARACTERÍSTICAS

O ouro coloidal verdadeiro é vermelho RUBI e tem sabor salobro.
Não compre se não for assim, pois não é o verdadeiro ouro coloidal.

Se ele decantar rápido ou mudar de cor, também não se trata do ouro coloidal ou não foi produzido corretamente.
A solução verdadeira não muda de cor e não decanta por meses.

O ouro não possui contra indicação a não ser para pessoas alérgicas ao metal.



USOS

O efeito do ouro coloidal é cumulativo, não é imediato, é necessário tempo para que ele faça o efeito necessário no seu organismo. Os usos para comuns conforme estudos científicos e comprovados são:


-  Reumatismos, artrite e artrose; atua como anti-inflamatório, antipirético aliviando a dor e eliminando as inflamações das articulações e tecidos.
- Regenerador de tecidos, músculos e células nervosas: ajuda na cicatrização e regeneração dos tecidos, memória, tratamento de queimaduras
- Utilizado no tratamento de Parkinson e Alzheimer.
- Na pele adicionado a creme hipoalergênico estimula a produção de colágeno regenerando o tecido epitelial eliminando rugas e suavizando marcas de expressão.
- Utilizado no tratamento de alguns tipos de câncer, pois interfere no processo de alimentação da célula cancerosa levando a morte.
- Insônia.

Uma características que poucos sabem é o sono que ele causa, um sono profundo e reparador, por isso não deve ser tomado durante o dia. Quem diz que deve provavelmente nunca tomou o ouro coloidal. Excelente para quem tem insônia ou distúrbios do sono. Ao acordar você não tem sonolência e passa o dia bem e tranquilo com uma sensação de satisfação e noite bem dormida.


- Ajuda no emagrecimento, não por ser emagrecedor, mas pela característica de tirar a ansiedade pela ação calmante o que, na maioria dos casos de obesidade, o excesso de ingestão alimento é predominante, então sem ansiedade, sem consumo excesso de alimento.

- Melhoras das funções cognitivas conforme estudo: https://www.utopiasilver.com/colloidal-gold-studies/.


DOSAGEM

Se for tomar sempre a noite 4 a 5 horas antes do seu horário de dormir, devido ao sono, adaptando a dose conforme o horário que você começar a sentir os efeitos.

A quantidade em ml vai variar conforme o caso, por isso bom consultar o seu fornecedor, terapeuta ou médico.



BREVE HISTÓRIA
Texto de : http://lqes.iqm.unicamp.br/canal_cientifico/lqes_cultural/lqes_cultural_cultura_quimica9-1.html


Os mais antigos registros sobre o uso medicinal do ouro vêm da Alexandria, Egito. Há 5.000 anos, os egípcios ingeriam ouro para a purificação da mente, corpo e espírito. Os antigos acreditavam que o ouro, no corpo, trabalhava para a estimulação da vida e aumentava o nível de vibração em todos os níveis.
Os Alquimistas de Alexandria desenvolveram um "elixir", feito de ouro líquido. Acreditavam ser o ouro um metal místico que representou a perfeição da matéria, e que sua presença no corpo poderia estimular, rejuvenescer, além de curar uma série de doenças, bem como restaurar a juventude e a saúde perfeita.
Aproximadamente há 4.500 anos, os egípcios já usavam ouro em odontologia. Arqueólogos modernos têm encontrado notáveis exemplos dos antigos usos do ouro. Hoje, ainda a favor do ouro como material ideal para o trabalho dentário, aproximadamente 13 toneladas desse metal são usadas, a cada ano, para a confecção de coroas, pontes, restaurações e dentaduras. O ouro é ideal para tais aplicações porque é não-tóxico, pode ser facilmente modelado e nunca se desgasta, corrói ou perde o brilho.
Na Roma antiga, pomadas (ungüentos) feitas com ouro eram usadas para o tratamento de úlceras na pele, e, hoje em dia, finas folhas de ouro têm também papel importante no tratamento de úlceras crônicas.
Na Europa medieval, pílulas revestidas de ouro e "águas de ouro" eram extremamente populares. Alquimistas misturavam ouro em pó nas bebidas, para confortar os afetados por dores nas pernas. O uso do ouro em pó para combater dores causadas pela artrite foi passado através dos séculos e, ainda hoje, é usado no tratamento da artrite reumatoide, tendo sua eficácia confirmada por pesquisas da medicina moderna.



Paracelsus: "Gold receives its influence from the Sun".(O Ouro recebe sua influência do Sol.)

Durante a Renascença, o grande alquimista, considerado fundador da medicina moderna, Paracelso, desenvolveu vários medicamentos, altamente bem-sucedidos, partindo de minerais metálicos incluindo ouro. Um dos maiores alquimistas/químicos de todos os tempos, fundou a escola de Iatroquímica, a química da medicina, a qual é precursora da farmacologia.


Paracelso - Alquimista e médico suíço (1493-1541).


Nos anos 1900, cirurgiões implantavam peças de ouro de US$ 5 dólares sob a pele próxima a uma junta inflamada, tal como joelho ou cotovelo. Como resultado, a dor, com freqüência, diminuía ou cessava.
Na China, as propriedades reconstituintes do ouro são ainda reconhecidas nas cidades do campo, onde camponeses cozinham o arroz colocando na panela uma moeda de ouro, a fim de ajudar a reabastecer o ouro em seus corpos, e alguns restaurantes chineses utilizam folhas de ouro de 24 quilates em suas preparações.

Ouro coloidal
Se o ouro metálico é dividido em finas partículas (tamanhos atingindo de um a uma centena de bilionésimos do metro, portanto 1-100 nanômetros), e as partículas estão permanentemente suspensas em solução, o mineral torna-se conhecido como ouro coloidal, exibindo, então, novas propriedades, devido à extensa área superficial contendo grande quantidade de ouro.
Após estudar os trabalhos de Paracelso, o renomado químico inglês Michel Faraday preparou o ouro coloidal em estado puro, em 1857, e muitos usos foram encontrados para suas soluções de "ouro ativado".


Michel Faraday - Físico-químico inglês (1791-1867).


Em 1890, o conceituado bacteriologista alemão, Robert Koch, obteve o Prêmio Nobel, por ter descoberto que compostos feitos com ouro inibiam o crescimento das bactérias que causavam a tuberculose.
No Século 19, o ouro coloidal foi comumente usado nos Estados Unidos no combate ao alcoolismo (então chamado dipsomania, definida como sendo um impulso mórbido e irresistível, que leva a pessoa a ingerir grande quantidade de bebida alcoólica), e hoje ele é usado para reduzir a dependência de álcool, cafeína, nicotina e de carboidratos.
Nos Estados Unidos, desde 1885, o ouro é conhecido por suas capacidades curativas sobre o coração e melhora da circulação sanguínea. Desde 1927 tem sido usado no tratamento de artrite.
Os europeus estão atentos aos benefícios do ouro no sistema e têm adquirido pílulas revestidas de ouro e "águas de ouro" (gold waters) a mais de cem anos.
Em julho de 1935, na revista Clinical, Medicine & Surgery, em artigo intitulado "Coloidal Gold in Inoperable Câncer", escrito por Edward H. Ochsner e colaboradores, é vista a seguinte afirmação: "Quando a condição é desesperadora, o Ouro Coloidal ajuda a prolongar a vida, tornando-a mais suportável para ambos, paciente e os que estão à sua volta, porque encurta o período terminal de caquexia (estado de abatimento profundo, devido à desnutrição, freqüentemente associada a uma doença crônica) e reduz bastante a dor, o desconforto e a necessidade de ópios (narcóticos), na maioria dos casos".
Os doutores Nilo Cairo e A. Brinckman são autores do best-seller "Matéria Médica" (São Paulo, Brasil, 19a edição, 1965), no qual o Ouro Coloidal aparece listado como o remédio número um contra a obesidade.


Dr. Nilo Cairo - Homeopata brasileiro (1874-1928).

Usos Modernos
Hoje em dia, os usos do ouro em medicina têm se expandido grandemente. Malhas feitas com finíssimos fios de ouro são usadas em cirurgia para corrigir ("remendar") vasos sanguíneos, nervos, ossos e membranas. Médicos modernos injetam partículas de ouro microscópicas para ajudar a retardar o câncer de próstata no homem; mulheres com câncer no ovário são tratadas com soluções de ouro. Lasers de vapor de ouro buscam encontrar e destruir células cancerosas, sem causar danos às células vizinhas.
Diariamente, cirurgiões fazem uso de instrumentos de ouro para "iluminar" artérias coronárias e, lasers recobertos com ouro, dão nova vida a pacientes com problemas no coração, e que não podem passar por uma cirurgia.
Um novo composto experimental de ouro bloqueia a replicação do vírus em células infectadas e está sendo testado para o tratamento da AIDS.
O ouro vem se tornando uma ferramenta biomédica importante para cientistas que estudam o por quê de o corpo se comportar de determinada forma, em certos eventos médicos. Anexando um marcador molecular em uma peça de ouro microscópica, cientistas podem seguir seu movimento através do corpo, dado o fato de o ouro ser facilmente visível por um microscópio eletrônico. Podem, assim, observar reações em células individualmente.
Alguns pesquisadores estão colocando ouro no DNA para estudar material genético híbrido em células. Outros o estão usando para determinar como as células respondem às toxinas, calor e stress físico. Por ser ele biologicamente benigno, bioquímicos usam-no para produzir compostos com proteínas, criando novas drogas "salva-vidas". O ouro tem sido conhecido através dos anos por seu efeito direto sobre as atividades do coração, auxiliando na circulação sanguínea. Beneficia o rejuvenescimento lento dos órgãos, especialmente o cérebro e o sistema digestivo e tem sido usado nos casos de congestão glandular e nervosa e nas falhas de coordenação.
O mecanismo de estabilização da temperatura do corpo é restaurado com ouro, particularmente em casos de calafrios, ondas de calor e suores noturnos.
O ouro coloidal tem um efeito estabilizante e harmonizador sobre todos os níveis do corpo, mente e espírito. É usado para melhorar atitudes mentais e tratar estados de instabilidade mental e emocional como depressão, melancolia, aflição, medo, desespero, angústia frustração, tendências suicidas, transtorno afetivo, memória fraca, concentração fraca, e muitos outros desequilíbrios da mente, corpo e espírito.
O ouro coloidal aumenta a energia e age positivamente sobre a libido. Ele também auxilia nos distúrbios de déficit de atenção.
De acordo com numerosos estudos, o ouro coloidal aumenta a acuidade mental e a habilidade de concentração. Trabalhos recentes apontam um aumento de 20% no Q.I. de pessoas que ingerem diariamente doses de ouro coloidal, por apenas três semanas O ouro coloidal tem sido pensado para fortalecer o funcionamento mental, pelo aumento da condutividade entre terminais nervosos no corpo e sobre a superfície do cérebro.
Outros tratamentos tradicionais incluem, além da artrite, obesidade, úlceras de pele, ferimentos por picada, danos em nervos (neuropatia), desintoxicação, destreza motora, hiperatividade, visão fraca. É também usado para aliviar a debilitação e desnutrição, associadas a doenças crônicas.
As fabulosas propriedades curativas do ouro estão sendo devagar, mas seguramente descobertas. Modernos cientistas e médicos descobriram o que os antigos já sabiam: o ouro é, sem sombra de dúvida, um metal muitíssimo precioso!



sábado, 31 de outubro de 2015

MENTIRAS SOBRE A PRATA

Temos recebido muitas perguntas sobre a prata e comentários sobre prata coloidal comprada de pessoas que produzem, muitas vezes sem conhecimento profundo, então vai a dica de muitas informações que são mentira e podem por em risco a sua saúde e comprometer o resultado de seu tratamento.


- MINHA PRATA COLOIDAL É TRANSPARENTE E ME DISSERAM QUE FICA AMARELA COM O TEMPO, É VERDADE?

   Mentira. Ou é amarela ou transparente. É amarela quando feita pelo método a quente que é o mais indicado pelo bioquímico Kephra porque é o método usado desde 1938 para produzir a verdadeira prata coloidal que é prata metálica carregada eletricamente, sem ganhar ou perder ion, não muda de cor como tempo e não decanta. É transparente quando feita pelo método a frio.


-  USEI ÁGUA DE TORNEIRA OU MINERAL PARA FAZER A MINHA PRATA, ISSO ALTERA EM ALGUMA COISA A QUALIDADE DA MINHA PRATA?

   Verdade. Isso pode alterar a qualidade da sua prata coloidal e até produzir outros sais de prata que podem acumular em seus órgãos e pele. A água da torneira possui diversos minerais e o cloro, no processo de eletrólise, pode a partícula de prata "colar" na do cloro e teremos cloreto de prata. Assim, também com a água mineral. Daí a importância da água não ter partículas de outros minerais.
   Saiba que a água se auto ioniza: http://naturalsbrazil.blogspot.com.br/2014/08/por-que-usar-agua-sem-particulas-sem.html .


- A PRATA COLOIDAL CURA 650 PATOGENES OU TODAS AS DOENÇAS.

   Mentira. Há muitas doenças que não são curáveis com a prata porque não são provocadas por micro-organismos, porque há micro-organismos que não são sensíveis a prata  ou tem seu sistema respiratório diferente onde a prata não interfere se tornando resistentes a ela.
  O seu sistema imunológico também interfere muito no tratamento, se deficiente ou não. A sua alimentação também.


- USEI PRATA DE MINHAS JÓIAS PARA FAZER A PRATA COLOIDAL É VERDADE QUE PODE?

    Jamais, pois a prata das jóias contem liga com outros metais para dar resistências a ela, como por exemplo, o cobre, estanho, níquel, etc Isso pode causar intoxicação seria por metal pesado.
     A prata deve ser sempre a 1000 ou  999,9 que vem em grânulos e são moldados na forma de eletrodos.


- TOMAR A PRATA COM MUITA PPM OU EM QUANTIDADE MAIOR VAI ME CURAR MAIS RÁPIDO.

    Mentira. Existe uma norma para uso da prata coloidal, não é a quantidade ou o número de ppm  altas que vão te fazer melhorar mais rápido. O que faz você melhorar é usar corretamente, mudar sua alimentação. A dose indicada é 1 ml a 25 ml de prata coloidal, de 15 a 20 ppm, de preferência pela manhã em jejum ou fracionada, para uma pessoa com média de peso de 70 quilos, mais ou menos peso deve ser calculado. A prata coloidal preferencialmente a amarela e quantidade vai variar conforme cada caso, sendo,  em média 1 ml para casos leves e 25 ml para HIV sintomático.
    Feita em casa ou no laboratório por eletrólise simples a quente, dificilmente você conseguirá prata a 50ppm, transparente cor de canela, mas há como fazer. Mais que essas ppms, somente com adição de sais e ácidos e não é aconselhável, somente para profissionais habilitados.



- USO PILHAS DE 9 VOLTS PARA FAZER A PRATA COLOIDAL A FRIO.

    Você pode até usar, mas não é adequado, pois a Fonte de energia adequada é uma fonte de 24  a35 volts, de 10mA (miliampere) com corrente continua. A pilha pode apresentar variação de corrente conforme perde a carga.
    Você deve perguntar o porque desa amperagem, certo? A amperagem pode ser até 0,5 A (ampere) que não haverá problema, porém as partículas serão coloides maiores. Se for 10 mA, elas ficarão na média de 1 a 15 nanômetros e serão absorvidas no estomago com efeito melhor para tratamento, evitando que entrem no intestino e causem algum dano na sua flora intestinal.



- POSSO MISTURA PRATA QUALQUER PRODUTO.

   Não. A prata pode sofrer alteração ou pode alterar o produto químico ao qual for adicionada. É relativo e pode ou não dar certo. Ela,normalmente só pode ser misturada a extratos, essências e bases neutras e naturais, com algumas restrições para não mudar a cor e os resultados.


- POSSO SAIR NO SOL USANDO A PRATA?
   
   Não. Bom evitar o contato da área onde você usou a prata coloidal líquida ou em gel com o sol, pois pode causar manchas na sua pele devido a oxidação da prata na presença da luz e do oxigênio.
Mais atenção ainda aos cremes e géis com pó de prata, nitrato, por serem partículas maiores mais perigo apresenta.



- GUARDO A PRATA COLOIDAL EM QUALQUER RECIPIENTE OU FRASCO NÃO OFERECE NENHUM PROBLEMA.

    Mentira. Oferece problema, pois causará alterações na prata produzida, oxidando as partículas que mudarão de cor e decantarão na presenta da luz e do oxigênio, perdendo a eficácia. por isso a embalagem deve ser vidro ou PET para medicamento, âmbar e bem fechada.



-  PODE INALAR A PRATA E APLICAR VENOSA?

    Pode inalar a prata coloidal desde que a 15 a 20 ppm, sendo puro coloide, algumas gotas diluídas em água destilada e em casos necessários, de preferência sob orientação médica.

   Aplicar venosa nunca, pois todos que tem bom senso, sabem que o que é aplicado venoso deve ser produzido em ambiente estéril sobe um controle rigoroso de higiene e qualidade. Aplicar dessa forma a prata coloidal produzida em casa ou não estéril pode acarretar sepse no sangue e levar a morte. É de extrema irresponsabilidade fazê-lo.


- COMO SEI QUE NÃO VOU FICAR AZUL OU CINZA (ARGYRIA)?

   Se tomar a verdadeira prata coloidal na dosagem correta para seu caso, se não expor a pele diretamente ao sol quando aplicada local, não ficará azul, nem cinza e a prata coloidal será eliminada totalmente do seu organismo em 3 dias.

  90% dos casos de Argyria são causados por ingestão de nitrato de prata, ou seja, prata feita com fonte configurada errada, com água inadequada e tomada sem restrição por longos períodos: http://naturalsbrazil.blogspot.com.br/2015/07/como-acontece-temida-argyria-que-tanto.html.

 Se você for alérgico a prata apenas apresentará empolacão, interrompendo o uso, desapare.

 Não existe caso de morte com o  uso da prata coloidal verdadeira em todo mundo, apenas casos de gente irresponsável fazendo o quer.


- USEI A PRATA NOS MEUS ANIMAIS, NÃO CAUSA PROBLEMA NENHUM.

    Mentira. Pode causar danos e até a morte, pois há animais extremamente alérgicos e seu organismo reage de forma violenta causando choque anafilático e a morte d animal, por isso cuidado ao usar a prata ingerida em animais, Deve-se fazer um teste na pele antes e calcular a dose conforme o peso e o caso. Geralmente, doses menores e fracionadas durante o dia, associadas conforme as doenças com complexos vitamínicos.

 A prata coloidal é excelente quando ingerida, para a cura de infecções e para a cura da CINOMOSE, micoses. na pele não há restrições, principalmente em gel e sabonete associados, eliminando o TVT (doença sexualmente transmissível) em até 10 dias de uso, sem quimioterapia. Acelera a cicatrização na pele.

Borrifada nos locais onde o animal dorme e nos pelos, faz controle dos ovos de pulgas, carrapatos e pequeno parasitas, pois ela elimina os ovos deles.


- POSSO USAR TRANQUILAMENTE EM CRIANÇAS.

   MENTIRA. o uso via oral, em crianças, deve ser feito em casos graves e com acompanhamento do pediatra, pois não há estudos sobre, sendo que a criança está em fase de desenvolvimento. Há um estudo em ratos que diz que a prata afetou a célula reprodutora (espermatozoides) desses ratos, por isso, na duvida, somente se necessário.

  Na pele, como sabonete ou em verrugas não há problemas por ser baixa dosagem e limitada.



- MINHA PRATA AMARELA MUDOU DE COR COM O TEMPO OU DECANTOU.

   Não é normal, pois a prata coloidal verdadeira, não muda de cor, mesmo que meses armazenada e não decanta. Pode ter sido algum problema na produção, alteração de corrente, qualidade da água, alteração de temperatura, armazenamento. Muito cuidado, se acontecer dispense a prata e faça outra, procure orientação.





Dúvidas pergunte: naturalsbrazil@naturalsbrazil.com.br







sexta-feira, 24 de julho de 2015

A prata Coloidal não deixa a água alcalina



   Algumas pessoas estão sob o equívoco de que os geradores de prata coloidal podem produzir água alcalina de pH 10. Isso é absolutamente falso. 

    No entanto, é possível produzir prata coloidal que lê pH 10 em um medidor de pH eletrônico. Isso ocorre porque os medidores de pH eletrônico padrão tem sondas de base de prata que não leem corretamente em soluções contendo prata, ouro, e a maioria dos metais de transição.


Desde o Guia do Medidor de pH em http://www.professionalequipment.com/guide-to-pH-meters/articles/

     Uma vez que os eletrodos convencionais contêm prata na solução dentro do elétrodo de referência, há inúmeras aplicações em que este tipo de eletrodo não pode ser utilizado. As soluções posteriores não podem ser medidas com eletrodos de uso geral.

    Os metais pesados, incluindo prata, ferro e chumbo, Proteínas 
orgânicas, tais como acetona, soluções iónicos de baixa, tais como água destilada, Altas concentrações de sódio, tais como as soluções que contêm grandes quantidades de sais Sulfidos.
   O tipo de eletrodo fornecido com a maioria dos medidores de pH é o eletrodo de prata.
   O verdadeiro pH da solução de prata coloidal pode ser determinado utilizando os eletrodos do medidor de pH correto, chamado elétrodos de calomelano. 

      Eletrodos de calomelano são baseados em mercúrio em vez de prata, de modo que a prata na solução não interfere em produzir uma leitura falsa. Também pode ser verificado com papel de teste Hydrion pH, o que também não é afetada por íons metálicos presentes na água.

    Um conhecimento da química geral e a tabela periódica dos elementos deve também tornar claro que as soluções de prata não podem ser de pH 10 a menos que haja sódio suficiente, potássio, magnésio, cálcio, ou outros elementos presentes de colunas de um ou dois do quadro periódico (com exceção de hidrogênio). 
      Elementos de uma coluna são chamados metais alcalinos, porque eles reagem com a água para formar hidróxidos. Elementos de coluna 2 são chamados metais alcalino-terrosos e também formar hidróxidos em água. Destes elementos, única de sódio, potássio, cálcio e magnésio são amigáveis ​​para o corpo humano. Berílio, por exemplo, é muito tóxico.

    Água normal tem um PH próximo a 7, por uma porção de água ioniza criação de 10 -7moles de H + íons e 10 -7 moles de OH - íons por litro de água. A 7 vem da operação matemática de ter tomado o logaritmo de 10 -7 que é -7 e multiplicando por -1 que dar 7.

     Para tornar a água mais ácida, deve haver mais H + íons de OH - íons. Para tornar a água mais alcalina, deve haver mais OH - íons de H + íons. A pH 8, há 10 -8 moles de H ++, íons e 10 -6 mol de OH - íons por litro. Os expoentes sempre somam 14.

   Onde é que os extras OH - íons vem? Eles vêm de hidróxidos alcalinos ou alcalinos. É por isso que apenas estes elementos podem aumentar o pH da água em nenhuma extensão.

   Prata não forma hidróxidos com água. Durante a eletrólise, o hidróxido de prata é formado no ânodo, mas rapidamente se decompõe em óxido de prata, o que não é uma substância alcalina.

   A pH 10 deve ser de 1000 vezes mais OH - íons e 1/1000 vezes como muitos H + íons.

      Qualquer um que reivindica que seu equipamento prata coloidal produz 10 ph água alcalina está provando sua ignorância da química básica.


    Começando com a água destilada com um mililitro de carbonato de sódio 1 molar, as medidas de pH ligeiramente superior a 7-7,5.  Depois de reduzir a prata resultante com o açúcar invertido, o pH é geralmente um pouco inferior a 7, devido à formação de ácido glucônico, que resulta da oxidação do açúcar (outro método avançado de produção de prata coloidal). Nunca é o pH perto de um verdadeiro valor de 10.

Você sabia que deve tomar a prata coloidal aumentando a dose aos poucos por causa da Reação de Jarisch-Herxheimer?

   Qualquer um que experimente a prata coloidal em qualquer período de tempo terá de compreender a reação de Jarisch-Herxheimer (ou reação Herxheimer).

      A prata é eficaz como um matador de bactérias, vírus, fungos e leveduras, mas uma pessoa muito seriamente doente pode sofrer de uma reação causada pela libertação de toxinas, causada pela morte em larga escala desses agentes patogênicos. 

    Embora este seja um processo normal e não causa, normalmente, quaisquer problemas evidentes para a pessoa que faz o tratamento com a prata coloidal, por vezes, o agente patogênico que morre é tão grave que a pessoa começa a sentir mais do que a indisposição e desconforto inicial da doença, achando que é devido à doença.


     Quando uma pessoa está tomando a Prata Coloidal ou CS, pela primeira vez, pode também haver um efeito a partir da mortandade de muitos milhões de bactérias (normalmente inofensivos) dentro do corpo. É necessário criar um novo usuário da Prata Coloidal, consciente deste efeito, para que eles entendam que esta é uma parte normal do processo de cura, e não ver isso erroneamente como sendo causado diretamente pelo uso da prata.

    O Herxheimer é normalmente de curta duração e pode ser considerado como uma forma de desintoxicação pelo organismo, e o corpo pode apresentar sintomas semelhantes aos da gripe; leve a moderada febre, dor de cabeça, dor nas articulações e músculos, dores no corpo, dor de garganta, mal-estar geral, sudorese, calafrios e náuseas.  A pele, sendo um órgão excretor, o 3º maior do corpo humano, conhecido para a eliminação de venenos e toxinas, também pode mostrar manchas exageradas ou coceira.

       Assemelha-se a definição médica de  sepse  (que não é de surpreender) e também pode acontecer depois de uma prescrição de  antibióticos, como a  penicilina  ou  tetraciclina(de novo, surpreendente).
   Fontes sobre o estado da Internet que a reação de Herxheimer é particularmente comum durante o tratamento de febre recorrente, sífilis, doença de Lyme,  leptospirosebrucelose febre tifoide, triquinoseem particular, qualquer doença que envolve espiroqueta bactérias.
     Se essa reação é particularmente grave, os médicos podem prescrever medicamentos anti-inflamatórios, a cada quatro horas durante vários dias, ou corticoides como a prednisona.  Os doentes devem ser cuidadosamente monitorizados em caso dessa reação em doenças graves, seja com a prata ou antibióticos tradicionais, ficando alerta para o colapso e choque potencial. Em casos extremos, meptazinol, podem ser prescritos.

      A reação de Herxheimer é uma reação perfeitamente normal que mostra que a Prata Coloidal está destruindo os patógenos. A Prata não diretamente, causa a reação de Herxheimer. Qualquer pessoa que sofre deste efeito deve tentar manter o consumo de Prata Coloidal a uma dose mais baixa ou parar por alguns dias e, em seguida, reiniciar a dosagem de menor para maior.

    A prata Coloidal Não é tóxica  e deve-se ressaltar que a maioria das pessoas nunca experimentou a reação de Herxheimer.
    O único "tratamento" mais eficaz para a reação de Herxheimer é água potável.

    Todos os usuários de prata coloidal devem manter uma alta ingestão de fluidos e água em particular.

   Se esta reação acontecer, então é melhor para aguentar o processo de desintoxicação, se possível, mesmo que tenha de ser feito por fases através da redução da ingestão (volume e frequência) de Prata Coloidal, tal como o é a limpeza corporal. Esta reação é um sinal que a carga parasitária é particularmente alta e a infecção ou outra é grave.

   Um sintoma realmente grave  é batimento cardíaco irregular, dificuldades respiratórias ou tossir tão grave que a pessoa não pode "recuperar o fôlego" ou inchaço significativo na garganta, nesse caso deve ser dada atenção médica imediata.

Resumindo, a reação de Herxheimer é causada pelo excesso de patogênese morto no organismo de uma única vez, onde o organismo não consegue eliminá-los em tempo hábil, ocorrendo uma intoxicação pelos micro-organismos mortos. Por isso, tanto com antibióticos, quanto com a prata é necessário avaliar a dosagem para que inicie gradativamente no caso de doenças graves.





COMO ACONTECE A TEMIDA ARGYRIA QUE TANTO FALAM POR CAUSA DA PRATA IÔNICA



Argyria é coloração azul cinzenta o da pele causada pela ingestão de certos tipos de preparações de prata. 

De acordo com estudos realizados com microscópios eletrônicos, a cor azul / cinza é o resultado de compostos de prata no interior das células. Os compostos de prata no interior da célula tem sido determinados como sendo de sulfureto de prata (enxofre) e seleneto de prata (selênio).

Os principais tipos de prata são metálicos ou iônico.

  Significa que a prata iônica existe como um composto solúvel com outras substâncias, como os óxidos, cloretos, nitratos, citratos, acetatos, etc., no seu estado iônico, a prata tem uma carga eléctrica positiva, porque doou um eléctron  para a outra parte do composto.

Nem todos os compostos de prata são solúveis, e, portanto, não são iônicos. Compostos insolúveis que não são iônicos. Sulfureto de prata, por exemplo, é um composto de prata que não é solúvel em água e, portanto, não iônico em água.




Argyria é coloração azul cinzenta da pele causada pela ingestão de certos tipos de preparações de prata. 

De acordo com estudos realizados com microscópios eletrônicos, a cor azul / cinza é o resultado de compostos de prata no interior das células. Os compostos de prata no interior da célula têm sido determinados como sendo de sulfureto de prata (enxofre) e seleneto de prata (selénio).

Os principais tipos de prata são metálicos ou iônicos.

  Significa que a prata iônica existe como um composto solúvel com outras substâncias, como os óxidos, cloretos, nitratos, citratos, acetatos, etc., no seu estado iônico, a prata tem uma carga eléctrica positiva, porque doou um eléctron para a outra parte do composto.

Nem todos os compostos de prata são solúveis, e, portanto, não são iônicos. Compostos insolúveis que não são iônicos. Sulfureto de prata, por exemplo, é um composto de prata que não é solúvel em água e, portanto, não iônico em água.


    Prata metálica é um aglomerado de átomos de prata individuais cerca de 15 bilionésimos de um metro de diâmetro, e não carrega nenhuma carga elétrica líquida porque não deu quaisquer elétrons a outro composto. No entanto, ele tem uma carga negativa efetiva, porque os seus elétrons estão na superfície dos átomos. Cargas elétricas opostas se atraem uns aos outros, ao mesmo tempo, como cargas elétricas se repelem.

    Esta diferença de carga elétrica é muito importante na compreensão de como ocorre Argyria. 

     As células humanas requerem determinados íons para a vida, como sódio, potássio, magnésio, cálcio, etc. As células humanas possuem uma carga elétrica negativa na sua superfície que atrai íons positivos como de sódio e potássio a sua superfície onde são ingeridos através de poros especiais na parede da célula. 
      Partículas de prata metálica são repelidas por paredes celulares, por isso não é possível para prata metálica se introduzir numa célula e ficar presa lá dentro. Além disso, as partículas de prata metálicas são pelo menos 50 vezes maior do que um íon, e como tal são demasiado grandes para entrar através dos poros das células.

  Muitos fornecedores de prata coloidal dizem que a prata iônica não pode causar argyria porque os íons são o menor tamanho e não pode ficar 'preso' dentro das células. (NÃO É VERDADE, A IÔNICA QUE É PERIGOSA).

     A falácia desse argumento é que ele assume que o íon prata permanece um íon, mas isso não é verdade. Uma vez dentro da célula, os íons de prata se combinam com enxofre no interior da célula e tornar-se sulfureto de prata insolúvel, ou combina-se com selênio e torna-se insolúvel seleneto de prata. Estes compostos de prata são muito estáveis ​​e não há nenhuma maneira de tirá-los das células.

       Assim, a prata iônica é atraída para as paredes celulares, e se insere nas células da mesma forma que os íons metálicos essenciais, como sódio e potássio. Uma vez dentro, que reage quimicamente com qualquer enxofre ou selênio na célula e tornar-se insolúvel. Nesse ponto eles estarão presos e sem saída. 

       À medida que mais prata fica preso, ele começa a mudar a cor na célula, para a tonalidade característica azul / cinza do famoso Paulo Karason.

     Saiba que leva um longo tempo e um monte de prata para fazer a sua pele ficar azul. Isto porque a maioria da prata iônica é absorvida pelas células dos órgãos internos de uma pessoa muito antes que ele chegue à pele. No entanto, é cumulativa, e acumula-se lentamente. O primeiro lugar que se torna visível é a parte branca dos olhos e as unhas. Além disso, a maior parte da prata que escapa de ser rapidamente absorvidos pelas células do fígado e do trato digestivo e em breve serão convertidos em prata metálica, pela glucose e outros produtos químicos antioxidantes no sangue. 
   No entanto, alguns íons permanecem com livre circulação do sangue, e acaba nas células da pele. É a prata iônica, que foi convertida no corpo para metálica para que se torne eficaz contra agentes patogênicos. Isto foi provado por estudos de microscopia eletrônica de bactérias atacando prata metálica.

    As bactérias têm uma carga eléctrica positiva, que é a forma como eles são capazes de entrar e infectar células. Esta carga positiva torna-se atraída por partículas de prata metálica. Quando elas entram em contato, a diferença de campo eléctrico entre as duas queimaduras de um buraco na parede celular das bactérias, matando-as eficazmente. Portanto, seria prudente evitar prata iônica e só usar prata metálica (PRATA COLOIDAL).

 Para saber se a sua prata é metálica ou iônica é muito simples. A prata iônica é claro como água pura, e tem um gosto metálico. Prata metálica é de cor amarela e é de gosto amargo (prata coloidal).