terça-feira, 22 de março de 2016

COMO TESTAR A SUA PRATA COLOIDAL

É uma publicação para ajudar a você a não ser enganado, visto que já ouvimos diversas pessoas com problemas por não estar tomando prata coloidal verdadeira.

Primeiro vamos entender o que é coloide, ok? Tentarei ser o mais simples possível.

Soluções verdadeiras são aqueles onde um soluto (sal por exemplo) está dissolvido totalmente num solvente (água). É uma mistura homogênea perfeita. Tamanho de 0 a 1 nanômetro.

No caso da prata coloidal não é uma solução e sim uma dispersão, onde um disperso ( a prata) está diluído num dispersante (água). Parece uma solução homogênea, mas não é, as partículas estão dispersas na água visíveis em microscópio, que podemos separar com filtros especiais.
Tamanho de 1 a 100 nanômetros.

Por último temos as suspensões, dispersões, misturas grosseiras como o óleo e a água que podemos separar com um filtro. Tamanho de 100 nanômetros em diante.
A prata coloidal então é uma dispersão coloidal cujas partículas vão de 1 nm a 100 nm, ok! Caracterizando uma dispersão coloidal.


PARA TESTAR A PRATA VOCÊ PODE TESTAR ATRAVÉS DO:
- Efeito browniano, somente através de microscópio que a maioria não tem. http://www.infoescola.com/fisica/movimento-browniano/

- Efeito Thindall, com uma lanterna laser, onde um feixe de luz atravessa um recipiente com o disperso pronto. Os coloides têm um comprimento de onda maior do que o comprimento de onda da luz, por isso, este feixe de luz dispersa no ambiente, aonde é observado. Este fenômeno recebe o nome de Efeito Tyndall, em homenagem a John Tyndall.
http://www.infoescola.com/fisico-quimica/efeito-tyndall/

- TESTE DO SAL de cozinha (cloreto de sódio)
Para saber se a sua prata não tem prata iônica em maior proporção que a prata coloidal, separe 30 ml da dispersão, coloque alguns grãos de sal de cozinha misture suavemente girando o recipiente ou com uma colherinha suavemente e observe o cloreto reagindo com a prata iônica formando o cloreto de prata. Você verá uma formação branca, a prata se for amarela fica amarela leitosa e se for transparente leitosa. Quanto mais leitosa, coma nuvem branca mais iônica ela é.
http://www.cgcsforum.com/?topic=1142.0

Não é invenção, são palavras de um Bioquímico especializado em prata coloidal. Está no link acima.
AVISO: SE NÃO FICAR COM NÉVOA, TAMBÉM, PODE NEM SER PRATA COLOIDAL, LEMBRE-SE DISSO, NESSE CASO, VEJA O SABOR DE AMARGO LEVE A MAIS AMARGO CONFORME AS PPM, COR, ETC.
Você que acompanha as publicações de Naturals Brazil já sabem que a prata iônica irá direto para a pele atraída pela carga elétrica das células e lá permanecerá e é ela que faz a pessoa ficar azul com o passar de muito tempo e uso. Além disso, se acumula nos órgãos saturando seu organismo de metal pesado.

A QUÍMICA DA PRATA COLOIDAL

A prata coloidal é um recurso popular para uma série de doenças. Ela pode ser comprada em lojas de alimentos saudáveis, e, claro, na internet. É caro embora considerando, que se você fizer no final o custo pode chegar a poucos reais.
Por esse motivo, muitas pessoas tentam fazer por si próprios através de um simples processo de eletrólise. O método mais comum é simplesmente colocar dois fios de prata em um copo de água e conectar os fios a um par de baterias de 9 volts. Existem duas variações importantes no processo, porém, um muito bom, e um muito mau. Há maneiras muito melhores  de fazer prata coloidal.
Então, o que a maioria das pessoas realmente fazem e chamam de prata coloidal?

Bem, isso depende do método que eles usam. Aqui estão os três principais métodos que as pessoas  usam e o método que mais os pesquisadores usam:


I) ÁGUA DESTILADA  + ÂNODO DE PRATA À TEMPERATURA AMBIENTE
Neste método, os ions hidroxilo livres (OH -) na água inicialmente reagem com o elétrodo de prata positivo para fazer hidróxido de prata (Agoh). Começando com a água pura, e a prata pura, hidróxido de prata é o único produto que pode ser feito inicialmente. Hidróxido de prata é instável que se decompõe e rapidamente a óxido de prata Ag 2 O. Se você se lembrar do seu curso em química do ensino médio, a formula reação seria:
2AgOH -> Ag2O + H2O

IMPORTANTE: Óxido de prata é pouco solúvel em água, e depois de eletrólise, por um tempo você tem uma solução de prata iônica, não a prata coloidal. Você pode provar que os íons de prata existem neste momento, adicionando uma pequena quantidade de sal de mesa como um teste. O sal vai formar cloreto de prata que vão precipitar para fora para formar um líquido turvo, porque a solubilidade do cloreto de prata é 25 vezes menos do que um óxido de prata.

Se a eletrólise está continuando, o óxido de prata vai atingir a saturação, e em seguida, começa a precipitar óxido de prata como coloidal. Neste ponto, a solução irá começar a mostrar o efeito de Tyndall. Isto não é estritamente prata coloidal, embora tenha propriedades anti-microbianos de acordo com o óxido de prata EPA 2,  é o que dá a solução seu sabor metálico que é outra indicação que tenha feito o óxido de prata em vez de prata coloidal.

IMPORTANTE: Isto é o que a maioria das pessoas fazem e erroneamente chamam de prata coloidal. Uma vez ingerido e misturado com ácido clorídrico estômago, o óxido de prata reage com o cloreto de prata a produção de ácido. Uma vez absorvido na corrente sanguínea, que pode deslocar-se para a pele e outros tecidos em que pode ainda reagir com compostos de selÊnio e sulfer formando seleneto de prata e de sulfureto de prata. Digitalização de estudos de microscopia electrônica de vítimas argyria mostram que a prata presa na pele é predominantemente sulfeto de prata e seleneto de prata, por isso, é altamente provável que a ingestão de grandes quantidades de prata iônica acabará por levar a Argyria.

II) DE ALTA TEMPERATURA – MÉTODO DE PRATA COLOIDAL
Se o mesmo método acima é realizado enquanto a água está próximo da temperatura de ebulição, uma reação adicional acontece. Óxido de prata em prata metálica reduz quando perto de ebulição na ausência de oxigênio livre 3 e na presença de hidrogênio gasoso. O gás hidrogênio é gerado no cátodo através da reação de redução de sódio e água, ou por eletrólise da água, se não de sódio está presente. Isso faz com que um produto prata coloidal cor amarela.  A cor amarela é causada pelo efeito de ressonância plasmônica das partículas extremamente pequenas de prata metálica.

A reação espontânea, que reduz o óxido de prata para prata é:
Ag 2 O + 2H -> 2Ag + H2O
Esta reação normalmente não é completa porque uma parte do gás de hidrogênio é perdida por escapar a partir da água.

O resultado é, em seguida, uma solução contendo muito pouco óxido de prata (prata iônica) e uma maioria de partículas de prata metálicas. Isto também pode ser testada pela adição de um pouco de sal. Ao contrário da prata coloidal feita à temperatura ambiente, esta prata coloidal não fica turva com a adição de íons de cloreto, mostrando que contém poucos ions de prata. Isto é verdade, a prata coloidal.


III) A ÁGUA DESTILADA + SAL + ÂNODO DE PRATA.
Algumas pessoas adicionam um sal de mesaem pequena quantidade para  saltar, iniciar o processo de eletrólise. Este método produz cloreto de prata, que tem uma solubilidade muito baixa e, portanto, produz uma solução turva. O cloreto de prata é muito fotossensível, e é usado na produção de papel fotográfico. Quando ingerida, os íons de cloreto de prata deslocar-se para a pele, e são foto reduzida pela luz solar a prata insolúvel, ou quimicamente reagiu com sulfetos e selenetos a compostos de prata solúveis, que, em seguida, ficam presos na pele, e não podem ser removidas.

Iv) REDUÇÃO DE SAIS DE PRATA COM UM AGENTE REDUTOR.
Não, muitos cervejeiros home utilizaM este método, mas é o método de escolha com investigadores profissionais, como é rápido, altamente repetitivo, e altamente controlável. Este método produz verdadeirAs nanopartículas de prata com nenhum conteúdo iônico.
Tipicamente, um sal de prata solúvel, tais como de nitrato de prata é reduzido a partículas metálicas de prata utilizando um agente, tal como glucose. A técnica pode ser combinada com os métodos de casa facilmente embora apenas por adição de uma pequena quantidade de um agente de redução adequado para a água. Os agentes redutores apropriados para a utilização doméstica incluem o xarope de milho (melhor), Golden ou xarope de King, maltodextrina, ou glicose. Estes são todos os alimentos ou aditivos alimentares, e não criam quaisquer subprodutos tóxicos.

V) A ELETRÓLISE COMBINADA COM UM AGENTE DE REDUÇÃO.
Este é o método que sou a favor, porque é simples, confiável, não utiliza produtos químicos tóxicos, e produz verdadeiras nanopartículas de prata. Ele requer algum equipamento especializado que pode ser feito em casa. Instruções e detalhes podem ser encontrados no site principal cgcsforum.com. (É PRECISO SEGUIR O MÉTODO A RISCA DESCRITO EM UMA DE NOSAS PUBLICAÇÕES).


QUAL O MELHOR MÉTODO?
Definitivamente não é o método III, com sal. A ingestão de cloreto de prata é simplesmente estar pedindo para ter problemas sérios.

Método I, a maneira mais comum de fazer CS parece ser segura, no entanto, o produto não se mantém de óxido de prata, quando ingerida. O estômago é um ambiente rico em cloreto de que vai converter o óxido de prata para cloreto de prata, logo que é engolido. Que as pessoas tomam óxido de prata suficiente para ser um problema? Eu não sei. Talvez cloreto de prata não seja facilmente absorvido pelo organismo, mas então porque é que as pessoas que desenvolveram argyria tem usado sal para fazer a sua CS? Talvez seja simplesmente a dosagem.

O melhor método é aquele que produz nenhum conteúdo iônico, como verdadeiro CS não reagem fortemente com o ácido do estômago para formar cloreto de prata, e que tem uma vida de prateleira excelente, mesmo quando exposto à luz. KEPHRA: “Eu tenho uma amostra de vários anos de idade em um frasco de vidro transparente exposto à luz todos os dias, e tem ainda não degradadas”.

IMPORTANTE: Um relatório recente mostrou que  prata iônica é 25 vezes mais tóxico para as células de fibroblastos humanos (tecido conjuntivo) do que a metálica, mas que requer 2 a 4 vezes mais para inibir as bactérias 4, OU SEJA, PARA INIBIR AS BACTÉRIAS VOCÊ TEM QUE TOMAR UMA QUANTIDADE IMENSA DE CLORETO DE PRATA . Isso parece sugerir novamente que prata metálica seria a melhor escolha para tomar internamente.

--------------

1) Solubilidade de espécies de prata
Óxido de prata aproximadamente 0,00250 g / 100 ml (20 ° C)
Cloreto de Prata Aproximadamente 0,00052 g / 100 ml (20 ° C)

2) Calendário US EPA Registro revisão: Pesticidas antimicrobianas de outubro de 4 de 2006

3) I primeiro descobriu isso quando tentar fazer CS usando um elétrodo de prata submersa, e um elétrodo de prata suspensa 1 / 8th polegadas acima da água. I depois aplicada de 4000 volts, a partir de um transformador para criar um arco de plasma a partir do eléctrodo de suspensão para a superfície da água. Isto criou um CS clara (como testado pelo método de sal). Eu observei que depois de um tempo, uma camada de amarelo para castanho formariam na parte superior da solução à medida que aqueceu-se a partir do arco de plasma. Como o arco continuou a aquecer a solução, a camada castanha iria crescer ainda mais para baixo a partir do topo. Eu não sei por que, até recentemente, quando eu encontrei referência à decomposição de óxido de prata a prata pura à temperatura de ebulição na ausência de oxigênio.