quarta-feira, 31 de julho de 2019

PRATA COLOIDAL E USO EM PLANTAS PARA GERMINAÇÃO


Quando chega a hora de plantar sementes, a maioria dos agricultores prefere usar sementes feminizadas. Para garantir a feminizarão das sementes, a maioria das pessoas recorre à compra de sementes feminizadas de bancos de sementes comerciais. Mas como garantir a feminizarão e qual é a maneira mais eficiente de fazê-lo além de comprar sementes? Depois de pesquisar e utilizar diferentes maneiras de produzir sementes feminizadas, descobri que usar a prata coloidal é o método mais eficiente, seguro e econômico para produzir sementes feminizadas.

COMO FUNCIONA A PRATA COLOIDAL NAS PLANTAS
Veja como funciona:
Ao usar prata coloidal formulada e 20 ppm ou mais como um spray borrifador, encharcando a área alvo da planta por 10-18 dias seguidos, o íon de prata então inibe a produção de etileno necessária para a planta produzir flores femininas. Por sua vez, forçando a planta feminina a produzir sacos de pólen masculinos. Como as plantas femininas com zero cromossomo masculinos, o pólen produzido é feminino, resultando em 99,99% de sementes femininas garantidas quando se utiliza o pólen da planta que foi tratada com prata coloidal.

Quando aplicar prata coloidal:
O melhor momento para usar prata coloidal para feminização seria um dia ou dois antes de mudar para a floração (12/12). Imediatamente começar a pulverizar prata coloidal em novos crescimentos a cada dia até que os sacos masculinos começam a se formar 10 a 18 dias).

Uma vez que você visualize os sacos masculinos começando a se formar, eu separaria e isolaria essa planta de outras plantas que estão florescendo para que você não polinize outras plantas femininas (quanto menos fluxo de ar, melhor será o pólen). Sacos são desenvolvidos e leva algum tempo para que eles abram e produzam um amarelo como o pólen (geralmente de 2 a 3 semanas, mas varia de acordo com a genética).

Uma vez que o pólen esteja presente, bata suavemente os sacos em um espelho ou superfície lisa, facilitando a coleta do pólen. Use o pólen imediatamente ou guarde um recipiente no freezer para uso posterior. Agora você tem "pólen feminino" prontamente disponível para polinizar qualquer genética que seu coração desejar! O próximo passo é polinizar suas flores (todo mundo usa métodos diferentes para polinização, então vou deixar você decidir como fazer isso).

Não só a prata coloidal é usada como um biocida oligodinâmico, mas também tem muitos outros benefícios para as plantas, incluindo a feminização e a esterilização. Graças à ciência e aos elementos da natureza, a prata coloidal pode ser usada para maximizar os rendimentos e manter a sustentabilidade das plantas durante todo o ciclo de vida das flores.

Dicas úteis ao criar sementes feminizadas:

- Escolha a planta feminina mais atraente para esse processo para garantir a genética premium.
- Certifique-se de separar e isolar a planta, uma vez que as bolsas começam a se formar - mova-se para outra sala longe de plantas com flores.
- Prepare-se e tome as medidas necessárias para ter uma planta feminina que esteja bem florida e isole-a e polinize-a com o pólen feminizado criado com prata coloidal (pegue um pouco de pólen no final de uma Q-tip e bata suavemente sobre o flores que você gostaria de polinizar.)
Dentro de 3 a 6 semanas, sua planta produzirá sementes feminizadas. GARANTIDO!

Escrito por Nick Griffith

Link Original: https://www.maximumyield.com/ultimate-seed-feminizer-colloidal-silver/2/2097

A PRATA COLOIDAL MATA O FUNGO DA PLANTA, PRODUZ LAVOURAS MAIORES E MAIS SAUDÁVEIS.

Neste estudo , publicado na edição de março de 2010 da revista Mycobiology, os pesquisadores descobriram que a aplicação de níveis variados de nano partículas de prata às raízes das plantas da cebola verde erradicou completamente as infecções fúngicas por Sclerotium cepivorum, conhecidas por destruir as plantas.

Não apenas a aplicação de nano partículas de prata destruiu o fungo patogênico, mas, segundo os autores do estudo, não causou nenhum dano significativo aos micróbios benéficos do solo necessários para o crescimento, nem houve qualquer mudança negativa na química do solo ou composição.

CULTURAS MAIORES E MELHORES
Além disso, as plantas de cebola verde tratadas com prata nano, uma vez colhidas, demonstraram ter crescido e pesar mais do que as plantas de cebola verde não tratadas.

SEGUNDO OS PESQUISADORES:
“Aplicamos diferentes concentrações de nanosilver (10 ppm, 23 ppm, 50 ppm e 100 ppm) na base de cada planta quatro vezes por semana por até quatro semanas.
Após cinco meses, as raízes das plantas foram observadas e o peso seco foi medido após secagem na máquina de secagem a 80 graus.

O peso fresco da cebola verde colhida também foi medido.
… Tanto o peso fresco como o peso seco das plantas tratadas aumentaram. “As cebolas tratadas com o líquido de nanosilver tinham mais peso do que as não tratadas ou controles “.

Isso é surpreendente, claro, porque significa que o uso de prata antimicrobiana na verdade aumentou o peso da colheita e, portanto, o rendimento da colheita também.

AS PLANTAS SABEM O QUANTO PRECISAM DE PRATA?
Finalmente, os pesquisadores apontaram que quanto mais eles aumentaram o uso de nanosilver nas plantas de cebola verde, a fim de testar que níveis mais altos de prata fariam com as plantas, menos prata as plantas absorviam.
Os pesquisadores declararam: “Quando a quantidade de nano-prata foi calculada nas plantas cultivadas em solo tratado com nano-prata, descobriu-se que a concentração de nano-prata usada para tratamento e a concentração de nano-prata encontrada nas plantas era inversamente proporcional."

OBSERVAÇÃO: Em outras palavras, as próprias plantas aparentemente reduzem a absorção da prata quando níveis altos são usados para controlar a ferrugem da planta.

Isso parece significar que as plantas apenas absorveram o que precisavam para proteção e cura, e então pararam de absorver a prata depois que os níveis de proteção foram alcançados.

IMPLICAÇÕES IMPRESSIONANTES
A conclusão tirada pelos pesquisadores do estudo foi surpreendente em suas implicações.
Se estudos posteriores demonstrarem que esses mesmos resultados são aplicáveis a todas as culturas, isso revolucionaria a agricultura (e a jardinagem também).

OS PESQUISADORES ESCREVERAM:
“Esta pesquisa mostrou que o líquido nano-prata pode aumentar a produtividade da planta e reduzir a poluição ambiental…
… Líquido nano-prata para a prevenção de vários fungos patogênicos de plantas é altamente recomendado para os agricultores.
Além disso… é seguro para o meio ambiente e produtos agrícolas.
Em conclusão, podemos dizer que, usando líquido nano-prata, a poluição ambiental e o uso excessivo de compostos químicos no campo podem ser reduzidos.
Espera-se que a aplicação de nano-prata em baixas concentrações seja econômica, ecológica e diminua os custos de manejo agrícola ”.

JARDINEIROS
Jardineiros relataram grandes resultados como este por décadas. Mas é claro que relatos não provam nada. Eles são apenas indicadores.
São estudos como os acima, que fornecem documentação fidedigna dos usos altamente benéficos da prata para plantas cultivadas.

Por que a prata funciona tão bem?
De acordo com o Journal of Food and Chemistry, a razão pela qual a prata funciona contra fungos vegetais é que ela é rapidamente absorvida por esporos de fungos, o que, por sua vez, interrompe a germinação do fungo.

“A prata é absorvida rapidamente pelos esporos dos fungos, de modo que a germinação pode ser completamente inibida após um tempo de contato de 1 minuto ou menos.
Somente o mercúrio (I) e (II) e, em menor escala, o cobre, oferecem uma concorrência séria. ”
- Miller, Lawrence P. e McCallan, SEA 1957. Ação tóxica de íons metálicos a esporos de fungos. Agricultural and Food Chemistry, 5 (2), 116-122.

É interessante notar que a citação acima é de um estudo publicado em 1957. Isso significa que a eficácia da prata contra patógenos fúngicos que prejudicam as colheitas é conhecida há mais de 55 anos.

E, no entanto, devido à resistência dos gigantescos conglomerados químicos que fornecem os produtos químicos sintéticos potencialmente tóxicos usados na agricultura, o uso de prata antimicrobiana para deter a queima das plantas e infecções fúngicas associadas ainda nunca foi implementado em larga escala na agricultura.

Naturalmente, os ambientalistas anti-prata radicais vão gritar um assassinato sangrento e argumentam que as nanopartículas de prata não devem ser usadas em plantações porque elas representam um "perigo para o meio ambiente" iminente.

Isto, apesar do fato de que os estudos mais recentes demonstraram que não há nenhum dano ecológico na prata no ambiente. (Sem mencionar o fato de que a prata vem do ambiente em primeiro lugar). (Nossa observação: Há o que se pensar, pois ela vem do ambiente de lugares específicos, não e em nanopartículas).

Então você tem que olhar para a agenda subjacente quando você ouve esses gritos altos e sensacionais contra o uso de prata provenientes de elementos radicais dentro da comunidade ambiental.
Muitas vezes, aqueles que afirmam estar "protegendo o meio ambiente" estão, na verdade, apenas protegendo os senhores corporativos globais que perderiam centenas de bilhões de dólares em lucros se seus produtos químicos sintéticos não estivessem mais sendo usados.

MAIS PESQUISAS E EXPERIÊNCIAS PESSOAIS
A linha inferior é esta:
Um corpo crescente de pesquisas está claramente demonstrando o fato de que a prata tem seu lugar no manejo de doenças das culturas, e deve ser usada no lugar das substâncias químicas potencialmente tóxicas atualmente em uso, e que estão perdendo sua eficácia contra patógenos.
Longe de danificar ou prejudicar as plantas cultivadas, a prata parece ajudar a salvá-los da queima das plantas, e até aumenta a qualidade geral e o rendimento das culturas sem causar danos ao solo ou ao meio ambiente.
Pesquisas independentes parecem se encaixar com os resultados alcançados pelos pesquisadores no estudo acima.
Por exemplo, Brooks Bradley, da Harborne Research Foundations , declarou sobre suas experiências com o uso tópico de prata coloidal em plantas e arbustos:
“… Realizamos algumas avaliações limitadas, orientadas para plantas, utilizando prata coloidal.

Nossa investigação inicial envolveu experimentos destinados a determinar se a prata coloidal produziria efeitos benéficos sobre a “ferrugem” associada a pereiras e arbustos de piracanta.

O único protocolo eficaz que havíamos encontrado, antes de nossas avaliações de prata coloidal, foi a aplicação de estreptomicina (forma solúvel em água) em aerossol.

Uma solução de 10 ppm de prata coloidal de força misturada à taxa de 1 litro de prata coloidal a 2,5 galões de água e 1/4 colher de chá de detergente doméstico foi aplicada às árvores afetadas (em vários estados de desafio, de 10% a 50% de envolvimento da folhagem) .
Melhoria visualmente detectável manifestada em 48 horas. Melhoria marcada e estabilização patogênica evidenciada em 72 horas.

O crescimento de novas folhas - em antigas áreas de ataque pesado - começou a aparecer dentro de 7 dias após o tratamento inicial.

Este protocolo foi repetitivo (realizamos 4 vezes) ”.

E como o Dr. Keith F. Courtenay (ULC, EUA) declarou em seu livro, Colloidal Silver: the Hidden Truths : “Para todos os ataques bacterianos, fúngicos e virais em plantas, flores e frutas, basta pulverizar prata coloidal diluída nas folhas; adicione também à água, misturando uma colher de sopa por litro.
Eu coloquei prata no meu sistema hidropônico para erradicar a podridão da raiz. Um amigo meu cultiva orquídeas raras; estes são vendidos no exterior por uma grande quantidade de dinheiro. Ele estava pegando um fungo crescendo em alguns deles e eles se tornaram inúteis.
Chegamos à ideia de que a prata poderia erradicar o fungo, como acontece em humanos e animais. Então, por que não tentar?
Funcionou e ele é um homem muito feliz. Ele agora colocou um sistema de pulverização e todas as suas flores são pulverizadas em intervalos regulares e nunca tiveram nenhum problema desde então ”.

Como entusiasta de plantas de casas, Lisa B. escreveu recentemente na Comunidade de Segredos de Prata Coloidal no Facebook:

“Nós amamos o nosso novo Gerador de Prata Coloidal de Micro-Partículas… adorei… adorei… tenho usado a prata coloidal em todos os tipos de coisas. O mais legal até agora foi este:

Fiz um lote de 6 horas e pulverizei o suficiente para deixá-lo úmido no molde que havia se formado na terra ao redor de uma planta da casa.

Todos os sinais do molde ainda desaparecem após 4 dias. Antes disso, o molde teria matado a planta.

E como outro entusiasta de plantas escreveu na Comunidade de Segredos de Prata Coloidal no Facebook:
“Eu adiciono cerca de 1/2 onça de prata coloidal à água quando estou enraizando estacas de plantas. Não há mais água estagnada com estacas podres.

No site WebMD.com, você encontrará o seguinte depoimento coloidal de prata e planta de um jardineiro ávido:
“Eu uso meu jardim. Você deve ver como exuberante o meu tomate parece e minhas plantas de abobrinha. Uau!
Eu até borrifo nas minhas rosas e elas se livram dos pulgões e as rosas são de cor brilhante ”.

Minha esposa Kathy tem experimentado o uso de prata coloidal em seu jardim há muitos anos. Ela já usou várias vezes para erradicar o fungo de planta de tomate e notou que os tomates nas plantas tratadas parecem sempre mais vermelhos e mais suculentos e gordos que os tomates em plantas não tratadas.

Nos últimos dois anos, ela também o usou, moderadamente, no solo ao redor de plantas que pareciam estar infectadas ou estavam tendo problemas para cultivar verduras. Como escrevi há vários anos em um artigo “Os ambientalistas afirmam que as nanopartículas de prata são uma ameaça à vida vegetal”:
“Eu conheço dezenas de pessoas que usam prata coloidal em nanoescala para manter suas plantas mais saudáveis e fazer suas frutas e verduras crescerem mais rápido e mais fortes em suas hortas caseiras.

Um experimento não publicado durante a última estação de crescimento demonstrou que as sementes de tomate plantadas em solo tratado com pequenas quantidades de nanosilver produziram 30% mais brotos do que a mesma quantidade de sementes plantadas em solos não tratados com prata.

Além disso, as plantas cresceram quase duas vezes mais rápido nos primeiros 15 dias do experimento, antes de nivelar e crescer normalmente depois disso. Começaram mais rápido e ficaram maiores e mais resistentes do que as plantas do solo não tratado com prata. Isso é um sinal de saúde superior. Não prejudique.

Minha esposa pulverizou seu jardim com prata coloidal nanoescala durante toda a estação de crescimento no ano passado, pelo menos uma vez por semana, e às vezes duas vezes…
... e ela ganhou um prêmio de primeira fita azul por seus vegetais na feira local. (Para não mencionar a alimentação me semana após semana durante todo o verão com abóbora orgânica fresca, tomates, bagas pretas, alcachofras, melão e muito mais!)

Além disso, pela primeira vez em mais de 10 anos de jardinagem, o jardim ainda produzia safras até o início de novembro, bem depois da primeira geada!
Nem vou mencionar os produtores de maconha que usam prata coloidal para produzir botões de maconha mais potentes. ”
Para obter informações adicionais sobre o uso de prata coloidal na jardinagem, consulte o excelente artigo de Angela Kaelin, "Usando a prata coloidal para frutas e legumes mais saudáveis".
Nota do Editor DO ARTIGO ORIGINAL : Este artigo foi reimpresso com permissão de Steve Barwick do The Silver Edge . Obrigado Steve.

Artigo e direitos de: https://thegrownetwork.com/colloidal-silver-kills-plant-fungus-produces-larger-and-healthier-crops/



É ALERGIA A PRATA OU É A REAÇÃO DE JARISH HERXHEIMER?

Algumas raras pessoas tem alergia à prata, porém é muito confundida, após ingerir com a reação de Jarish Herxheimer.

Uma reação de Jarisch-Herxheimer ocorre quando produtos semelhantes à endotoxina  que é uma toxina que é parte integrante da membrana externa de algumas bactérias e só é libertada após a destruição da membrana externa da bactéria das Gram negativas,  nocivas ao corpo, durante o tratamento com antibióticos.

Seus sintomas principais são calafrios, febre, taquicardia, hipotensão, cefaleia, lesões cutâneas, leucocitose e taquipneia, em casos extremos.  Foi descrita pela primeira vez por 1895 por Jarisch e estudado por Herxheimer em 1902.

Como exemplo clássico, pode ocorrer durante o tratamento da sífilis com penicilina benzatina. Não deve ser confundida com reação alérgica a penicilina ou reação alérgica comum.
No caso da prata, a Reação de Jarish Herxheimer pode causar irritação na pele parecida com alergia e indisposição, por causa das toxinas que as bactérias liberam na corrente sanguínea ao morrerem em decorrência de infecções graves e ou resistentes.

O QUE FAZER NESSE CASO?
Se você tem infecção com febre, casos severos de sinusite, tuberculose, super bactérias, osteomielite e outras mais sérias, sempre inicie o tratamento com doses baixas de 2 ml de prata coloidal de 20 ppm (partes por milhão) e vá aumentando gradativamente a cada 3 a 7 dias, 2ml, 5ml, 7ml, 10ml, 12ml, 15ml até chegar na dose recomendada para seu caso conforme seu peso durante o tempo necessário, dessa forma , as bactérias vão morrendo e sendo eliminadas aos poucos sem acumular na corrente sanguínea, rins e fígado.

Beba bastante água que vai auxiliar extremamente nesse processo e você não terá o risco de ter a reação de Herxheimer.

Também, cuide de sua alimentação, para manter seu sangue alcalino, ou seja , com o PH natural dele que é aproximadamente PH 7,35, pois em organismo com PH correto, as bactéria, fungos e vírus não sobrevivem.
Cuide de seu sistema imunológico, com alimentação, produtos naturais, suplementação vitamínica e mineral, dessa forma ficará mais resistente a viroses.

Lembre-se, a prata não pode fazer todo o serviço pra você, não cura tudo e para ter o melhor resultado com ela deve fazer a sua parte. De nada adianta, tomar a prata pra tratar-se e continuar comendo fast foods, doces, refrigerantes, bebidas alcoólicas, é certo e verdadeiro que ficará doente em outra ocasião. E não poderá dizer que a culpa é da prata coloidal que não presta, hábitos precisam ser mudados.

Já vimos clientes perguntar se pode usar a prata e usar bebida alcoólica, o que esperar? Cura? Não mesmo.

O ser humano é um ser complexo, cujo organismo precisa de cuidados, você não pode tomar prata a vida toda.

Já aos reais alérgicos à prata, de fato, basta interromper o uso e tomar algum antialérgico e beber bastante água e sumirá a alergia. Faça uso responsável, você sabe que tudo que é em excesso e mal usado faz mal.

Use corretamente é só terá benefícios e nenhum desse problemas.

Naturals Brazil

quinta-feira, 11 de julho de 2019

ESTUDO MOSTRA A EFICÁCIA DE UM GEL COLOIDAL DE PRATA CONTRA BACTÉRIAS ORAIS SELECIONADAS IN VITRO


A pesquisa trata do um de um gel com partículas coloidal de uma marca especifica americana, o que em equivalência pode-se usar a prata coloidal liquida, após a escovação normal, para cuidados coma boca (língua e dentes), inibindo as bactérias causadoras da cárie que ficam nas placas advindas de alimentação nos dentes e gengiva.
A pesquisa mostra a eficácia da prata em coloide, como preventivo de diversos transtornos.
*******************************************************************
PESQUISA
Abstrato
Antecedentes: É necessário desenvolver novas estratégias de proteção contra bactérias como S treptococcus mutans , S treptococcus sanguis e Streptococcus salivarius , que contribuem para a cárie dentária e a formação de placas. Nosso estudo atual investigou a eficácia de um gel de prata coloidal na inibição da formação de biofilme por estas bactérias orais principais , in vitro . O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia de uma formulação de gel de prata coloidal para inibir a formação de biofilme bacteriano (Ag-gel) pelas principais bactérias que causam a formação de placa e cárie dentária.
Métodos: O efeito do Ag-gel na viabilidade de S. mutans , S. sanguis e S. salivarius foi avaliado pela quantificação de suas unidades formadoras de colônia (CFU) na presença ou ausência do gel de teste. O efeito desta formulação na capacidade de formação de biofilme destas bactérias foi estudado através de microscopia eletrônica de varredura.
Resultados: Utilizando os ensaios de CFU, mais de 6 logs de inibição (100%) foram encontrados para S. mutans , S. sanguis e S. salivarius para as bactérias tratadas com Ag-gel quando comparado com o gel controle. Além disso, o Ag-gel também inibiu a formação de biofilme por estas três bactérias misturadas. Estes resultados foram confirmados por microscopia eletrônica de varredura.
Conclusões: O Ag-gel foi eficaz na prevenção da formação de biofilme por S. mutans, S. sanguis e S. salivarius . Este Ag-gel deve ser testado quanto à capacidade de bloquear a formação de placa na boca, através do seu uso como pasta de dente.
INTRODUÇÃO
Problemas associados à manutenção da saúde bucal são enfrentados por muitas pessoas em todo o mundo, independentemente de sua idade e sexo. Os problemas bucais mais comuns entre todos são cárie dentária, sangramento nas gengivas (doenças periodontais) e cânceres bucais 1 . Durante algumas décadas, a gravidade e prevalência da cárie dentária e o câncer bucal, que pode ser uma condição fatal, aumentaram 2 , 3 .
Nos EUA, a cárie foi estimada em cinco vezes mais comum que a asma e sete vezes mais comum que a rinite alérgica 3 . Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cárie dentária é causada pelo alto consumo de açúcar, que também está relacionado ao excesso de peso e à obesidade 4 . A incidência de doenças periodontais é estimada em cerca de 20 a 50% da população mundial 5 . Existem duas abordagens para o gerenciamento da cárie: extração e prevenção. A principal modalidade de tratamento para essas cáries, apesar de muito dolorosa, é a extração de dentes cariados 2 , 3 . As medidas de prevenção de rotina para a cárie dentária são a manutenção da higiene bucal, envolvendo o uso de dentifrício fluoretado e / ou xilitol 6 , 7 . Olhando para o tratamento doloroso atualmente prevalente, há uma necessidade de novos produtos a serem desenvolvidos para a prevenção de cavidades orais. Os organismos patológicos responsáveis ​​por estas cáries / doenças periodontais são Streptococcus mutans , Streptococcus sanguis e Streptococcus salivarius.
Desde que lavagens bucais e diferentes tinturas foram consideradas ineficazes contra a formação de biofilme dentário 8 , encontrar novos produtos eficazes contra micróbios cariogênicos como S. mutans é importante. Enquanto o Listerine ® tem alguma atividade antimicrobiana, os cremes dentais, como o Toss-K e o Senquel-AD, não têm atividade contra quatro patógenos importantes da cárie dentária 9 . Assim, a busca continua por agente (s) mais efetivo (s) 10 . Um novo produto que é eficaz contra a formação de biofilme seria uma contribuição importante para mastigar palitos, dentifrícios ou outros produtos odontológicos.
S. mutans tem a capacidade de aderir a superfície do esmalte, produzir metabólitos ácidos, construir reservas de glicogênio e sintetizar polissacarídeos extracelulares. Estreptococos mutans criam ambiente ácido criando um risco para formação de cavidade. Durante a formação da placa dental, os S. mutans aderem aos colonizadores primários por interação célula a célula, formando biofilme nos dentes que induz o crescimento bacteriano 11 .
O Streptococcus sanguis é normalmente encontrado na cavidade oral humana. Devido à baixa cariogenicidade, forma uma colônia na superfície dentária que é agregada por outras bactérias orais e leva à maturação da placa dental 12 . Outro organismo, o Streptococcus salivarius, pertencente à subespécie salivarius, é encontrado na cavidade bucal em humanos poucas horas após o nascimento, permanecendo como habitante predominante. Todos esses organismos aumentam a formação de cáries e, assim, a progressão da doença periodontal. As modalidades de tratamento acima mencionadas não têm sucesso em controlar ou matar essas bactérias e, portanto, na prevenção da cárie.
A prata tem sido usada desde a antiguidade como agente antibacteriano para vários elementos patológicos. Durante o último século, a ação antimicrobiana da prata foi investigada 13 . A prata coloidal é observada como sendo menos tóxica que a prata iônica e tem boa compatibilidade com as células humanas. Constatou-se que a prata é eficaz no dessensibilizante dentinário e é usada como desinfetante do canal radicular 14 . Nanopartículas de prata também são usadas em material dentário, dependendo do tipo de material a ser usado. Por exemplo, as amostras de titânio são embebidas principalmente em solução de AgNO 3 para implantes dentários, para evitar a contaminação bacteriana 15 . O mecanismo de ação dos compostos de prata no dente cariado é inibir o processo de desmineralização e o efeito antibacteriano, interferindo na membrana celular bacteriana, na enzima citoplasmática e na inibição da replicação do DNA das bactérias 14 .
Sendo a saúde bucal uma preocupação global, é essencial desenvolver estratégias para prevenir a cárie dentária e a formação de placas. Este estudo teve como objetivo investigar a eficácia de um gel de prata coloidal na inibição da formação de biofilme in vitro pelas principais bactérias orais, Streptococcus mutans , Streptococcus sanguis e Streptococcus salivarius.
....
Materiais de prata coloidal
A prata coloidal na forma de gel foi obtida da Viridis BioPharma Pvt. Ltd. (Mumbai, Índia). Foi testado espalhando uniformemente 0,5 g num disco de papel em branco de 6 mm (BD Diagnostic System, Sparks, EUA) inoculado com as bactérias listadas no parágrafo acima. Avaliamos as bactérias remanescentes no disco pelos ensaios CFU abaixo.
.......
Conclusão
Verificou-se que um Ag-gel é capaz de mais de 6 log (100%) de inibição de bactérias S. salivarius, S. sanguis ou S. mutans , ou uma mistura de todas as três bactérias que formam biofilmes em discos de celulose por estudos de CFU. Estes resultados foram confirmados por estudos de MEV de formação de biofilme por S. salivarius, S. sanguis ou S. mutans ou uma mistura de todas as três bactérias, onde o curativo Ag-gel mostrou inibição total da formação de biofilme em discos de celulose. Estes resultados indicam que o uso de um gel de prata coloidal é uma forma eficaz de inibir a formação de biofilmes pelas bactérias mais comuns implicadas na formação de placa oral, e este gel tem um bom potencial para ser desenvolvido como um produto dentifrico comercial eficaz.
*************************************************************
SUGESTÃO DE USO
Após a escovação ou usando a prata como instrumento de limpeza. Coloque um pouco de prata na boca, escove os dentes e a língua massageando suavemente, cuspa e enxague com a prata, no período da noite.
Pode-se usar como bochechos e gargarejos periódicos a prata de 20 ppm já é suficiente.
Caso deseje:

Naturals Brazil

USO DA PRATA EM FERRAGENS ORTOPÉDICAS


FERRAGENS ORTOPÉDICAS

Além do uso de dispositivos temporários contendo prata (diversas apresentações) para reduzir infecções, o hardware permanentemente implantado com base em prata foi investigado. Estes dispositivos são predominantemente dispositivos ortopédicos temporários e permanentes e próteses vasculares.

Os pinos externos de fixação para o tratamento de fraturas são extra e intra-corpóreos e, portanto, apresentam risco de propagação contígua de bactérias [ 135 ]. Estudos anteriores de pinos de fixação externos demonstraram diminuição da presença bacteriana nas pontas intra-corporais dos pinos revestidos de prata do que nos pinos de aço inoxidável, bem como menor movimentação com pinos de prata em modelos animais [ 136 ]. A diminuição da aderência de todos os patógenos testados, exceto S. hemolyticusa pinos revestidos de prata, foi observada in vitro [ 135 ]. Além disso, em um estudo in vitro, os revestimentos de prata eram não-citotóxicos e mais compatíveis com o cito do que os pinos de aço inoxidável [ 137 ].

Um estudo randomizado utilizando pinos revestidos de prata em fraturas de extremidade inferior observou uma diminuição não significativa na positividade da cultura, embora este estudo tenha sido notavelmente fraco [ 138 ]. No entanto, um aumento nas concentrações séricas de prata levou os autores a concluir que era antiético continuar o estudo sem evidência de benefício clínico.
Nenhuma toxicidade de prata foi relatada apesar da concentração sérica elevada do metal.
Dois estudos prospectivos avaliaram o uso de um curativo SSD aplicado ao local do pino como um método para diminuir infecções. Comparado com um curativo seco, SSD sozinho não mostrou nenhum benefício [ 139 ], mas uma combinação de 1% SSD e 5% de clorexadina produziu reduções significativas nas taxas de infecção (p = 0,03) [ 140 ].
Investigações iniciais de nanotubos de titânio revestidos de prata na construção de implantes mostraram tanto atividade antibacteriana aumentada quanto melhor adesão de osteoblastos com efeitos tóxicos mínimos [ 141 , 142 ]. Outra investigao da incorporao de prata num revestimento de polero de silicone para proteas demonstrou actividade significativa in vitro e ex vivo contra S. aureus e S. aureus resistente a meticilina [ 143 ]. Aqui, as próteses revestidas de prata foram explantadas em vários momentos e incubadas com bactérias para testar a aderência. Por outro lado, um modelo de inoculação direta do canal femoral antes do implante de fios de aço inoxidável revestidos com prata ou revestidos com prata em um modelo de coelho não demonstrou qualquer diferença em relação aos resultados obtidos com próteses não revestidas [ 144 ].
Um grande estudo sobre o uso de substituição de fêmur proximal ou tíbia revestida de prata em comparação com uma coorte retrospectiva de hardware de titânio não revestido mostrou uma redução na taxa de infecção periprotética de 17,6% para 5,9%, embora essa diferença não tenha atingido importância estatística [ 145 ]. No entanto, os desfechos clínicos foram melhorados em pacientes com o implante revestido de prata, pois nenhum requeria amputação após o desenvolvimento de uma infecção, enquanto 57% daqueles que desenvolveram infecções após a inserção de próteses de titânio necessitaram de amputação. Embora esses pesquisadores relatassem ausência de efeitos tóxicos da prótese revestida de prata [ 146 ], um paciente desenvolveu argiria localizada secundária a uma insuficiência venosa que levou à descoloração da pele [ 145 ]. Como este é o primeiro estudo abordando o uso de megaprostéticos revestidos de prata e os resultados iniciais são encorajadores, uma avaliação adicional é necessária.
***********************************************************
Porém vemos que no Brasil, aparentemente não há ortopédicos revestidos de prata, assim, abre-se a possibilidade de usar a prata coloidal verdadeira, não iônica, como um coadjuvante na prevenção de infecções por bactérias severas em caso de fraturas e outras condições.
SUGESTÃO DE USO DA PRATA COLOIDAL
Borrifando ou limpando com prata coloidal verdadeira líquida com 50 ppm até 100 ppm, o local de 3 a 4 vezes ao dia ou mais, conforme a necessidade.
Há opção do gel e do sabonete para higiene juntamente com o liquido.
Pode-se usar sozinha ou associada.
*******************************************************************
Sugestão
PRATA 100 PPM:: https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1111083005-prata-co…
Naturals Brazil